Reprodução/Divulgação

Nunca Fui Beijada | Crítica


Hoje é dia de filmes e trouxe um filme da minha Coleção da Drew Barrymore, “Nunca fui beijada”.

Josie Geller é a mais jovem revisora do jornal de sua cidade, mas o que ela sempre quis era ter sua primeira experiência, buscando casos, pesquisando fatos, etc., como uma jornalista de verdade. 

Como adquiriu a confiança de seu chefe, ela conseguiu sua história, mas o que não esperava era o local onde iria fazer. Ela deveria voltar a ser estudante do Ensino Médio para analisar a vida dos estudantes da cidade. 

Como sua primeira vez foi terrível, ela resolveu que desta vez seria diferente. Mas como nem tudo é perfeito, em seu primeiro dia ela vai com uma roupa totalmente fora do padrão dos alunos, com plumas e um cabelo muito extravagante. 


Em uma de suas aulas, ela já se apaixona pelo professor, que até mostra um sentimento por ela, mas como estão em ambiente escolar e “a lei não permite” ele não faz nada. Durante seu período na escola, anda com uma câmera escondida para gravar todas as cenas e colaborar com sua matéria, mas com o passar das semanas ela acabou se envolvendo demais com a escola e esqueceu um pouco da matéria, deixando seu chefe muito irritado. 


Chegando perto do baile, ela tinha que tomar sua decisão e escrever sobre o ambiente escolar. Na matéria ela acabou contando como foi reviver o Ensino Médio novamente e como foi se apaixonar pela primeira vez. 


E se vocês querem mais é só assistir o filme!

Nunca Fui Beijada | Crítica Nunca Fui Beijada | Crítica Reviewed by Lucio Pozzobon on 22:56:00 Rating: 5