Reprodução/Divulgação

[Eu Fui...] U2 - Estádio Unico de La Plata

Olá pessoal!
Hoje trago um “Eu Fui...” especial do Show do U2 no Estadio Unico de La Plata.
Quem fez o relato foi minha colega de aula Silvana Beat Box Rambo (hehe).
Vamos a ele:

(...) Bono, que também achou o palco uma nave espacial, declarou no início da turnê que suas pernas tremeram quando viu a estrutura diante de si. “Com ele, vamos para outro lugar, onde as ruas não têm nome, um lugar de imaginação, da alma, da possibilidade, e todos podem simplesmente se perder nele. E um grande show, quando acontece, as pessoas não sabem onde estão – eu não sei onde eu estou.” (Revista TAM nas Nuvens, “O maior show do mundo”, p. 80)

Depois do show passei a concordar totalmente com essa afirmação do Bono e fui entender o porquê da frase “What time is it in the world?” ser repetida diversas vezes em várias músicas. Realmente, quem está vendo aquilo tudo, clássicos maravilhosos misturados com novas canções explosivas, aquele grande palco e todos aqueles efeitos e luzes está em outro mundo, muito fantástico...

Desde o início então... Em dezembro, quando fiquei sabendo que iria ao show já começou o meu nervosismo, frio na barriga ao assistir os vídeos de outros shows. Cresci ouvindo U2 por causa dos meus irmãos, então sou fã da banda desde que me conheço por gente.

Dia 30, no dia do show, acordei com aquele nervosismo típico. O transfer até o Estádio Unico de La Plata era às 15 horas e parecia que aquela manhã não passava...
Então às 15 horas estávamos prontas (eu, minha irmã e uma amiga) esperando na frente do hotel. E eu com a minha lindíssima bandeira do Rio Grande do Sul nos braços.

O ônibus atrasou um pouco e a viagem durou umas 3 horas (todo mundo esperava no máximo 1 hora de viagem). O show era em outra cidade, La Plata, que fica a 57 km de Buenos Aires. Ainda não entendo como aquele motorista demorou tanto para ir até lá, mas enfim. O ônibus nos largou a algumas quadras do estádio, então caminhamos um bom tanto.

Quando estávamos subindo para os nossos lugares (plateia norte, arquibancada, ao lado do palco), além das paradas para fotos, também nos tornamos membros da ONE, fundação do Bono para combater a pobreza e injustiça. Ganhamos uma pulseirinha e o moço simpático disse que no outro dia iríamos receber um e-mail explicando mais (fui conferir no outro dia e lá estava o e-mail, assinado pelo Bono). Por razões emocionais, ainda não consegui tirar a pulseira do braço (hahaha).

Quando chegamos na arquibancada ficamos paralisadas diante da imensidão daquele palco. Enorme, inacreditável... Depois de algum tempo olhando aquela estrutura gigantesca fomos para os nossos lugares. Ficamos na primeira fila da arquibancada, lugar muito bom  (melhor do que eu esperava).
E enquanto esperávamos pude comprovar a quantidade de brasileiros no show quando, ao meu lado, sentou-se um gaúcho e um catarinense (que identificou minha bandeira e fez o comentário “Tá pertinho do Bono, hein?”)

19:30 - abertura com a banda Muse. Show muito bom durou mais ou menos uma meia hora.
Depois que terminou, começaram a desmontar a estrutura do show do Muse, afinar os instrumentos do U2. Enquanto isso os tiozinhos no palco animavam a multidão (que fez um OLA muito bonito!). E destaque especial para um relógio no telão, onde o tempo se passava mais depressa que o normal.

Então, o relógio começou a se despedaçar, uma música do David Bowie tocou e Bono, The Edge, Larry e Adam entraram no palco e começaram o espetáculo.

Começaram com “Even better than the real thing”, seguida de “I will follow” e “Get on your boots”.
“Elevation” foi a primeira música mais explosiva do show. Era todo mundo – arquibancada e pista – pulando enlouquecidamente quando o Bono gritou o clássico “E-le-va-tion”.
“I still haven't found what I'm looking for” foi muito emocionante, com todo aquele povo (quase 60 mil pessoas!) cantando em um coro lindíssimo.

Depois o Bono puxou o parabéns pro The Edge, que estava de aniversário. A apresentação dos integrantes da banda também foi muito legal. Bono apresentou The Edge como “Deus” (e quem duvida?)
“Beautiful day” foi maravilhosa, cantei até perder o fôlego (uma das minhas preferidas).
Durante o show, Bono arriscou algumas frases em espanhol: “Es bueno volver!”

Foi surpreendente e lindo quando o enorme telão se abriu formando uma rede em “City of blinding lights”.
No telão tinha tradução simultânea das coisas que o Bono falava então quem não entendia inglês não ficava completamente perdido.

Foram tantos efeitos, tantas luzes, as passarelas que se moviam que eu nem sei explicar... Ficava parada assimilando tudo o que eu estava vendo e quem eu estava vendo - a maior turnê da maior banda do mundo! Em “Walk on” mais emoção quando várias pessoas segurando velas caminharam pelo palco.
E claro, clássicos como “Where the streets have no name”, “Sunday bloody sunday”, “One” e “Vertigo” fizeram todo mundo tremer e se emocionar.

Aí, para surpreender mais ainda, desce aquele microfone do Bono como se fosse uma nave espacial (lindo, lindo!). E para finalizar, “With or without you” e “Moment of Surrender.”

A banda agradeceu, se despediu, bateu palmas e foi embora, deixando todo mundo emocionado, encantado, meio perdido ainda... E, como já disse o Bono, se perguntando: “What time is it in the world?”.

Agora quando me perguntam sobre o show eu nem sei o que responder, só estando lá para sentir o quanto é incrível e emocionante ver na minha frente uma banda que já fazia muito sucesso antes de eu ter nascido e que comove gerações.

U2 360º não é um show, é um baita espetáculo!

 

Espero que tenham gostado do relato e das fotos.
E só pra deixar bem claro, que as "muambas" que pedi pra ela trazer, ela não trouxe, ok pessoal! (hahahaha)
Achou ela linda?! Então siga ela no Twitter! (hehehe).

Até o próximo post pessoal que provavelmente será segunda!

Comentem e bom final de semana!

[Eu Fui...] U2 - Estádio Unico de La Plata [Eu Fui...] U2 - Estádio Unico de La Plata Reviewed by Lucio Pozzobon on 22:05:00 Rating: 5