Reprodução/Divulgação


No seu mais recente filme, Django Livre (Django Unchained, Estados Unidos, 2012), o cineasta Quentin Tarantino volta-se ao contexto do sul escravagista americano anterior à Guerra de Secessão para, com sua linguagem e técnica típicas, extrapolar a História com o conto inusitado de um escravo que se alia a um caçador de recompensas para resgatar a esposa e vingar-se de seus flagelos. Autor que sempre presta homenagem ao Cinema na forma como integra inúmeras referências na construção de suas obras, Tarantino aqui busca forte inspiração no western spaghetti  sub-gênero surgido na década de 60, quando diretores e produtores em sua maioria italianos buscavam lucrar com produções que emulavam os faroestes americanos. Assim, da mesma forma como esses cineastas europeus acabavam por subverter algumas das convenções de gênero, em Django Livre o cowboy protagonista é negro e sua moralidade é guiada pelo que ele deseja fazer, e não necessariamente pelo fazer certo. Pela violência gráfica que é um de seus recursos recorrentes, o diretor move o fascínio pela trajetória do herói ao passo em que o espectador vai ficando mais próximo de seus interesses. Porque no tempo e espaço de Django Livre não há muito que possa ser resolvido sem que sangue seja derramado, e especialmente num período em que a condição humana de um grupo de indivíduos era relegada a subumana, o senso de justiça que Tarantino estabelece é dos mais recompensadores. Como de costume, há um tanto de momentos memoráveis, seja nas imagens ou no texto, e um elenco que sabe tirar proveito das situações e falas cuidadosamente escritas. Com cinco indicações ao Oscar, é possível que o filme saia com pelo menos a estatueta de melhor roteiro original na noite do próximo dia 24, para Tarantino, prêmio a que é o atual favorito, podendo Christoph Waltz, que interpreta o caçador de recompensas Dr. King Schultz, levar a de ator coadjuvante, numa das categorias mais indefinidas da temporada.


História feita de sangue História feita de sangue Reviewed by Mateus Denardin on 12:00:00 Rating: 5