Reprodução/Divulgação

Drops de realidade em American Horror Story: Coven


Eis que uma amiga me manda um link sobre 6 mulheres diabólicas que a gente provavelmente não conhecia. Qual não foi a minha surpresa quando, em segundo lugar, apareceu a Madame Delphine LaLaurie. Os fãs de American Horror Story, especialmente da terceira temporada, devem saber quem ela é, mas vocês sabiam que ela realmente existiu?

De acordo com a matéria da Superinteressante, Delphine, interpretada na série por Kathy Bates, era uma socialite de Nova Orleans (sim!) e viveu entre 1775 e 1842. E a história é bem parecida: ela realmente atacava os escravos e fazia experiências loucas, como amputar membros, costurar bocas e trocar sexos. Diferente do desfecho na série, Delphine nunca foi condenada - ou imortalizada.

Se não bastasse esse pingo de realidade no roteiro, Ryan Murphy foi além. Acontece que a Marie Laveau também existiu. E pasmem: ela também morou em Nova Orleans e viveu entre 1782 e 1881. Sim! Elas viveram na mesma cidade por um mesmo período de tempo! Depois da morte do primeiro marido, Marie, interpretada por Angela Bassett, abriu um salão de beleza (sim!). Mas a parte de magia negra permanece inconclusiva. Parte da história diz que ela realmente praticava voodoo, outra parte diz que ela apenas tinha boas conexões nas casas de socialites de Nova Orleans, e arrecadava informações para usar posteriormente. 

Apesar da dúvida, várias pessoas ainda desenham três cruzes na lateral do seu túmulo, esperando ter algum desejo realizado pela Rainha do Vudu.

Para quem gosta de AHS, isso é um bônus da genialidade de Ryan Murphy. Para quem não conhece, fica o impulso inicial para assistir essa temporada. Lembrando que você pode assistir a terceira sem ter visto as anteriores, já que cada uma traz uma história diferente.


Drops de realidade em American Horror Story: Coven Drops de realidade em American Horror Story: Coven Reviewed by Luiza Oliveira on quinta-feira, fevereiro 13, 2014 Rating: 5
comentários
DISQUS