Reprodução/Divulgação

'Invisível', de David Levithan e Andrea Cremer


O livro "Invisível", de David Levithan e Andrea Cremer, lançado pelo selo Galera Record, traz uma mistura de "E Se Fosse Verdade..." e bruxaria, que tornam o livro uma grande surpresa. A história é contada a partir do ponto de vista de Stephen (capítulos ímpares) e Elizabeth (capítulos pares).

Stephen é um garoto de 16 anos que mora em Nova York e ele tem um problema: é invisível. E não pense que é "sentir-se invisível". É de verdade. Ninguém consegue vê-lo.

Isso aconteceu pois, muito antes de nascer, seu avó, Maxwell Arbus, jogou uma maldição sobre sua mãe. Ele não queria mais vê-la, da mesma forma que ela não queria ver ele. Como era um grande conjurador, fez com que ela ficasse invisível para ele e que seu possível filho também fosse, mas para todos.

Mesmo sofrendo muito com isso, sua mãe sempre o tratou da melhor maneira possível e tentou fazer com que ele não se sentisse abandonado. Mas ela acaba falecendo e, como seu pai já tem outra família, Stephen fica sozinho no apartamento e sobrevive graças a um cartão de crédito que seu pai lhe deu. Pode parecer estranho ele precisar de dinheiro, mas ele come, usa roupas, só que ninguém as vê. Ele não é um fantasma.

No andar onde morava, sempre aparecia pessoas novas nos apartamentos vizinhos. Só que um dia, quando estava entrando em casa, algo estranho aconteceu. Elizabeth, a nova vizinha cumprimenta Stephen e isso o preocupa, já que nunca tinha sido visto por ninguém. Logo em seguida, conhece Laurie, irmão mais novo da garota, que não consegue vê-lo. Isso deixa Stephen assustado e por isso, volta correndo para seu apartamento.

Preocupada com a reação do garoto, Elizabeth vai visitá-lo e tenta entender o que estava acontecendo. Ele não conta para ela seu "problema" e assim começam uma amizade, já que ele sai pelas ruas de Nova York sendo seu novo guia turístico. Quando ele pensa que tudo vai ficar bem e vai conseguir fazer novas amizades, Stephen sofre um novo baque.

Ao visitar a garota de manhã cedo, ele não sabia que o irmão estava em casa e por isso a verdade acaba sendo revelada. Laurie, apesar de achar tudo muito estranho, não esconde a excitação de falar com um "ser invisível" e por isso se propõe a buscar, junto a sua irmã, uma solução para o problema do garoto.

Laurie leva Elizabeth e Stephen a uma loja de quadrinhos obscura e muito estranha. Lá eles conhecem Millie, uma rastreadora. As rastreadoras são aquelas que protegem os mortais de algumas maldições lançadas pelos conjuradores. E quando ela descobre que Elizabeth pode enxergar Stephen, ela logo descobre que a garota também é uma rastreadora, só que muito mais forte que ela.

E agora, Elizabeth pode ser a esperança para salvar Stephen da maldição que seu avó jogou sobre sua mãe.



Desde "Nick & Norah" sou um grande fã do Levithan, principalmente a forma que ele constrói um universo e seus personagens. Em conjunto com Cremer, eles conseguiram criar um universo fantástico sem deixar nada a desejar. É uma história que prende o leitor e com certeza, poderia ter uma continuação.

Em relação a edição brasileira, preciso dizer que achei a capa incrível! Sinceramente, eu odiei a capa americana, apesar de ter muitas pessoas que amam. Eu acho que o minimalismo combinou com a história e as cores trazem muito destaque para o livro.

'Invisível', de David Levithan e Andrea Cremer 'Invisível', de David Levithan e Andrea Cremer Reviewed by Lucio Pozzobon on 21:56:00 Rating: 5