Reprodução/Divulgação

'The Kiss Of Deception', de Mary E. Pearson | Crônicas de Amor e Ódio #1


'The Kiss of Deception', da autora Mary E. Pearson, lançado no Brasil pela excepcional DarkSide Books conta a história de Lia, primeira filha do Reino de Morrigan e prestes a se casar com o Príncipe de Dalbreck. Esse laço uniria seus reinos que estão quase em guerra e os colocariam contra um inimigo maior, chamados de Bárbaros. Entretanto Lia não concorda com esse casamento arranjado, esta desesperada, e toma sua última decisão: fugir, e para isso conta com a ajuda de sua criada Pauline.

Dizem as antigas histórias que as primeiras filhas recebem Dons, entretanto Lia ainda não demonstrou os seus, e isso é mais um motivo pra se sentir deslocada no meio da realeza. Tudo que ela almeja é poder viver sua vida sem ordens e emendas, sem autoritarismo da monarquia, livre do peso de ser herdeira, onde ela possa ser quem quiser.

Sua fuga entretanto ocasiona mais do que a sua desejada “liberdade”. Ela destrói o já fraco relacionamento dos reinos. No fim o saldo não é muito positivo uma vez que Lia é caçada por um assassino do Reino de Venda, pelo príncipe deixado de lado no dia do casamento, e por soldados de seu pai.

Pra quem quer tanto ser livre, não vejo como ser perseguido dessa forma pode ajudar, não é verdade?

Lia e sua criada fogem para Terravin, onde começa uma nova vida longe do luxo e dos sacrifícios de ser uma primeira filha e também princesa. Nessa cidade ela passa a trabalhar em uma taverna e vive feliz ali por um tempo. E é a partir desse ponto que o livro me ganhou de vez.

Certo dia aparecem dois rapazes onde Lia trabalha, Rafe e Kaden, pedem suas bebidas e ficam observando as pessoas do local (você já deve imaginar quem são esses dois certo? Talvez, ou melhor, meio certo, diria eu). Esses dois são o príncipe e o assassino que estão em busca da princesa, entretanto não sabemos quem é quem.

Assim, na sua "cara", o livro se divide em três narrações: Lia - Rafe - Kaden. Você fica desesperado tentando identificar quem está ali para salvá-la e quem está ali para matá-la.

Ambos tem ações tão ambíguas que vão fazer você conversar com seu EU interior até o livro terminar ou até você mudar pela quarta vez de opinião de quem é quem no desenrolar dos acontecimentos. A partir desse ponto é melhor desistir de fazer qualquer coisa. Ver um filme ou série não vai ser o mesmo, pois é CERTO que você se pegará distraído pensando em quem é quem e quando você vai descobrir isso.

Esse clima de suspense usado pela autora é mais do que perfeito pra te entregar uma mistura de ansiedade/curiosidade/nervosismo e outras sensações que só lendo o livro pra ter. O Romance está ali? Sim, está; mas não é nada daquela coisa chata, melosa e forçada que encontramos aos montes em livros por ai. O plot twist acontece de uma forma apressada, mas isso não é demérito uma vez que no livro é instaurado um clima de urgência por todos os lados, o que atiça você a tentar descobrir o que irá acontecer em seguida.

Ai chegamos ao desfecho, que olha, te faz fechar o livro com uma sensação tão boa por ter aproveitado uma jornada muito bem escrita e ao mesmo tempo te deixa tão vazio e nervoso porque tudo o que você quer quando fecha o primeiro livro, é abrir o segundo e começar a ler. Não tem outra forma de explicar isso.

Acho que já dei motivos suficientes pra você ir atrás desse titulo agora mesmo.

E o que falar dessa edição? (Agora leiam como se recitassem uma obra de Shakespeare)

Darkside, Oh Darkside, porque fazes isso comigo (e com todos os leitores), que anseiam por ter teus títulos entre prateleiras, como reféns numa torre, guardados e mantidos seguros do vil passar do tempo que destrói as coisas mais belas feita pela mão dos homens.

Essa edição é sem dúvida um dos livros mais lindos que tenho em minha estante (e olha que tem bastante livro). Sua capa dura emborrachada, com a fita de cetim, que já é marca da editora, dá ao livro um ar de preciosidade, de clássico e chama atenção onde quer que você esteja lendo, em um café ou no metro; cabeças sempre viram e olhos sempre disfarçam, admirando esse livro que no fim se torna um objeto de desejo pelos leitores.

The Kiss of Deception me conquistou, e como já falei bastante, acho que agora cabe a você decidir se quer ou não embarcar nessa jornada também. O que posso dizer é que VALE A PENA. E eu já quero voltar para aquele universo. Só deixo a seguinte questão: CADÊ O SEGUNDO LIVRO?

'The Kiss Of Deception', de Mary E. Pearson | Crônicas de Amor e Ódio #1 'The Kiss Of Deception', de Mary E. Pearson | Crônicas de Amor e Ódio #1 Reviewed by Marko Miller on 09:59:00 Rating: 5