Reprodução/Divulgação

The Musketeers - BBC | Crítica

Todo dia entra algo novo no catálogo do Netflix, tantas opções e informações na tela, com aquelas fotos passando e você nem sempre tem paciência de procurar mais afundo. O que tiver por ali, você escolhe e pronto. Pensando nisso, comento sobre The Musketeers, produzida pela BBC. Ela já foi finalizada, é bem curta tem 3 temporadas e com apenas 10 episódios cada. 

Baseada no livro, Os Três Mosqueteiros, do famoso Alexandre Dumas. O primeiro volume é Os Três Mosqueteiros, em seguida temos Vinte Anos Depois e O Visconde de Bragelonne.

A trilogia já rendeu ao longo dos anos várias adaptações, um filme de 1993, onde temos no elenco Charlie Sheen e Kiefer Sutherland, em 1998 no filme O Homem da Mascara de Ferro, temos no elenco Leonardo Dicaprio e John Malkovich (baseado no último livro da trilogia) e por fim, em 2008 Os Três Mosqueteiros com Orlando Bloom e Logan Lerman. Criador da série é Adrian Hodges ("The Lost Word") ambientada na Paris do século XVII, onde conhecemos as aventuras de Athos, Porthos e Aramis, soldados e guarda-costas do Rei Luis XIII, eles protegem o Rei e as terras francesas. Bravos soldados que lutam por justiça, igualdade e honra.


Depois de tantas adaptações, a trama já é conhecida pelo público, essa ganhou uma mega produção da BBC, o que já é uma característica do canal, considerando outros sucessos, como Doctor Who e Sherlock. O elenco traz alguns rostos já conhecidos do público que acompanha séries e filmes britânicos, como Luke Pasqualino (Skins) interpretando D'artagnan, Tom Burke (O Libertino) como Athos, Santiago Cabrera (Merlin) como Aramis e Howard Charles (Floresta Negra) como Porthos.

D'artagnam segue atrás do homem que brutalmente executou seu pai, ele está disposto a tudo, se mete em todo tipo de encrenca e por causa das confusões ele cruza com os três mosqueteiros do Rei, não é qualquer mosqueteiro e sim os melhores e mais próximos ao Rei. Eles viram aliados pois ambos tem um inimigo em comum, o Cardeal Richelieu (Peter Capaldi).


O Cardeal Richelieu é um grande manipulador, ele quer acabar com os Mosqueteiros. A França está em Guerra com a Espanha, o Cardeal tenta fazer do Rei seu fantoche, mas Luis não é tão bobo quanto parece, ele tem os seus momentos e a Rainha Anne (Alexandra Dowling "Game of Thrones") está sempre ao seu lado e tenta trazer bom senso ao marido, nem sempre tem sucesso. Ela já esteve em apuros por causa das mentiras do Cardeal, tendo assim que recorrer aos Mosqueteiros e sua Dama de Companhia Constance. Richelieu é capaz de qualquer coisa para ter sucesso e junta forças com uma assassina de Aluguel Milady de Winter.


Com uma abordagem diferente dos filmes, a série consegue ser mais fiel aos livros, mas claro, alguns pontos foram modificados, afinal de contas é uma adaptação. Alguns dos pontos mais atrativos estão presentes nas cenas de ação e lutas com espadas.

A trilha sonora, lembra um pouco a trilha dos filmes da franquia Piratas do Caribe. Empolgante e divertida, a série foi gravada na Republica Tcheca e somos apresentadas a uma fotografia espetacular, com casas e castelos reais, apenas duas locações foram feitas em estúdios.


Os primeiros episódios da 1ª temporada tem um ritmo lento, um pouco complexo ao apresentar pontos importantes a narrativa da historia. Porém, foi recheada de ação, aventura, questões politicas, humor, conspirações e amores proibidos.

O fim de temporada deixou muitos ganchos para a 2ª temporada e assim somos apresentados a Rocheford um vilão insano e sem escrúpulos, vai fazer de tudo para ocupar o lugar do Rei. Ele é amigo de infância da Rainha Anne, ele passa a ser conselheiro real e pela sua influência vai tornar a vida dos Mosqueteiro um inferno.

A série consegue subir um nível ainda melhor do que a anterior, episódios eletrizantes que prende do começo ao fim, os Mosqueteiros perderam toda a sua glória, caindo em armadilhas onde Rocheford tenta afastá-los cada vez mais do Rei, sem a presença deles Rochedord pode se livrar a qualquer momento do Rei Luís e assim seduzir a Rainha afim de se tornar o novo Rei da França.


Já na 3ª temporada, a França e Espanha estão em guerra, Os Mosqueteiros tiveram que deixar seu lar e passaram meses defendendo o país. Sem saber que a França, familiares e amigos passavam fome. O Rei virou as costas para o povo e só pensava em sair vitorioso na guerra.

The Musketeers é aquela série que os fãs não querem que acabe nunca, mas felizmente foi encerrada de forma digna na 3° temporada. Seu fim chegou no momento certo e todas as lacunas foram preenchidas e os fãs foram premiados com um ótimo desfecho. O que resta aos fãs é a saudade desse quarteto. 

The Musketeers - BBC | Crítica The Musketeers - BBC | Crítica Reviewed by Cintia Milanez on segunda-feira, junho 13, 2016 Rating: 5

0 COMENTÁRIOS

Postar um comentário

comentários
DISQUS