Reprodução/Divulgação

The Vampire Diaries - 8ª Temporada | Crítica



Oito temporadas, 171 episódios e incontáveis vampiros, lobisomens, bruxas, doppelgängers, entre outros seres sobrenaturais. Isso marca toda a trajetória de 'The Vampire Diaries' e sua oitava e última temporada.

Após uma temporada inconsistente, esse último ano tinha a difícil missão de revitalizar tudo aquilo que os fãs mais amavam na série, como também encerrar cada ponta solta, e proporcionar aos fãs o final que eles mereciam. Felizmente, os roteiristas Julie Plec e Kevin Williamson acertaram em apostar na nostalgia, e criar storylines sucintas, mas não menos emocionantes.

Logo no começo da temporada, somos apresentados a Seline (Kristen Gutoskie - Containment) e Sybil (Nathalie Kelley - UnREAL), as novas vilãs da temporada, através de flashbacks somos introduzidos ao passado das duas, e como essa história se encaixa na mitologia da série. Mas se tratando de The Vampire Diaries, sabemos que o vilão principal nunca aparece de imediato, até Cade (Wolé Parks - Devious Maids) se revelar e literalmente, trazer o inferno para Mystic Falls. Apesar de servirem ao seu propósito, os três vilões nem se comparam com os icônicos Klaus Mikaelson, Kai Parker, Silas, e claro, Katherine Pierce.



Mas por outro lado, isso não é algo ruim. Seline, Sybil e Cade não possuem tanto destaque, e nem mesmo estão presentes em todos os episódios. Tratando-se da última temporada, é mais que óbvio que os roteiristas preferiram focar nos protagonistas. Desse modo, as histórias de Stefan (Paul Wesley), Damon (Ian Somerhalder), Caroline (Candice King), Bonnie (Kat Graham), Matt (Zach Roerig), Alaric (Matthew Davis), Enzo (Michael Malarkey), entre outros, são desenvolvidas naturalmente e absolutamente todas as pontas soltas são resolvidas.



E como é de praxe (e os fãs adoram), essa temporada é repleta de amados personagens que retornam para uma última visita à Mystic Falls, sem falar no aguardado, e amplamente divulgado, retorno de Nina Dobrev ao papel de Elena Gilbert no último episódio. Sem o retorno de Dobrev, fica difícil imaginar como essa história terminaria.


A trilha sonora da série continua um verdadeiro destaque mesmo após oito anos, seja em cenas emocionantes, ou eventos mais catastróficos, tal trilha nunca deixou a desejar, sendo que algumas canções vão despertar a memória dos fãs imediatamente nos fazendo lembrar dos momentos mais importantes das temporadas anteriores. Os efeitos especiais também continuam a surpreender, seja em efeitos práticos ou gerados por computador.

Mas sem dúvida, os roteiristas planejavam emocionar os fãs com esses dezesseis nostálgicos episódios. Desde dos títulos (cada um foi intitulado com uma citação da 1ª temporada), as músicas, o retorno de alguns personagens, os conhecidos eventos de Mystic Falls, e um final que certamente irá agradar e emocionar aqueles que acompanham essa história a anos. 

Mesmo com altos e baixos, The Vampire Diaries sempre se mostrou uma série íntegra, com ótimos personagens, uma mitologia riquíssima, e respeito aos seus fãs, e assim a série se despede com uma temporada final digna de seus tempos áureos, com a certeza de dever cumprido, e que certamente deixará saudades.

The Vampire Diaries - 8ª Temporada | Crítica The Vampire Diaries - 8ª Temporada | Crítica Reviewed by Roberto de Carvalho Neto on segunda-feira, março 13, 2017 Rating: 5

0 COMENTÁRIOS

Postar um comentário

comentários
DISQUS