Reprodução/Divulgação

Designated Survivor - 1ª Temporada | Crítica

'Designated Survivor' foi lançada em 2016 pela ABC e exibida no Brasil pela Netflix, com episódios semanais. Estrelada por Kiefer Sutherland, o eterno Jack Bauer ('24 Horas'), que além de protagonista, também é um dos produtores da série, junto com o também diretor Paul Mcguigan ('Luke Cage', 'Scandal' e 'Sherlock'). A primeira temporada teve 21 episódios e já garantiu a renovação para uma 2ª temporada.

Tom Kirkman (Kiefer) é apenas um secretário de habitações e desenvolvimento urbano. Após um atentado no Congresso americano, onde o Presidente e todos os membros morrem, Tom foi nomeado como "sobrevivente designado" e se vê obrigado a assumir o cargo de Presidente do país, sem saber que o ataque é apenas o começo do que estar por vir.


Pode parecer louco, inusitado, mas a prática de sobrevivente designado é real. Desde os tempos da Guerra Fria. Um membro do gabinete é indicado para ficar em um local fisicamente distante, seguro e secreto, enquanto o Presidente e os outros membros do congresso estão reunidos num mesmo local, isso é feito para manter a continuidade do governo em caso de um evento catastrófico que mate o Presidente e o vice. O sobrevivente designado é a pessoa escolhida para substitui-los.

Tom é um homem comum, sem ambição politica ou preparo para o cargo. Tudo é novo e um desafio, tornou-se Presidente da noite para o dia, não tem apoio dos governantes, militares e muito menos tem a confiança do povo americano. Um atentado nessas proporções, as pessoas querem respostas e querem sentir-se seguras. 

Tom começa a reunir seu pessoal, mas a cada dia é mais difícil construir aliados, além dos problemas políticos ele ainda precisa ser um pai e marido. Sua família tem dificuldades de se adaptar a vida presidencial e sua esposa, Alex Kirkman (Natascha McElhone, 'Californication'), que sempre trabalhou como advogada e promotora pública, agora é Primeira Dama e precisa desempenhar um papel junto a ele.


Hannah Wells (Maggie Q, 'Nikita') é uma agente do FBI e especialista em Bombas, assim que ela começa a investigar o atentado, um deputado é encontrado nos escombros e milagrosamente sobrevive, Hannah passa a suspeitar dele pois devida a explosão seria impossível ele sobreviver. Investiga a vida dele e passa a juntar pistas. Logo um grupo terrorista do Oriente Médio, se diz responsável pelo atentado. Hannah passa a juntar pistas para provar sua teoria, o sobrevivente está longe de ser um herói.


Os fãs de séries ficaram impressionados ao ver a "união" de Jack Bauer e Nikita em uma mesma série. Kiefer desempenha um papel diferente, dessa vez ele está longe da ação e das ruas, fica atrás de uma mesa e governa o país. Apesar da premissa lembrar a série '24 Horas', o foco não é esse. Acompanhamos um homem comum entre altos e baixos, mais erros do que acertos governar uma nação. Ficamos presos entre dois núcleos: Tom tentando governar e Hannah reunindo provas para sua teoria.

Temos personagens secundários bem explorados e essenciais no decorrer da trama. O secretário de imprensa, Seth Wright (Kal Penn, 'House') é a pessoa que segura todas pontas e o lado cômico no meio da politica. Kimble Hookstraten (Virginia Madsen, 'Law & Order: SVU') é uma deputada que vai fazer Tom comer o pão que Jesus distribuiu na santa ceia e mais alguns rostos conhecidos que fazem pequenas pontas e só enriquecem o elenco.


Não posso deixar de comentar a polêmica comparação com 'House Of Cards', principalmente aqueles que ficam tentando eleger qual a melhor e qual a pior. São séries distintas e com visões diferentes com uma única coisa em comum, politica. É injusto comparar o personagem de Kiefer, que nunca teve preparo, dom ou concorreu as eleições e o personagem de Kevin Space, que parece que nasceu para ser Presidente e ainda conta com a parceria da esposa que é tão preparada quanto ele.

As séries tem visões diferentes e suas complexidades. Muitas vezes é difícil entender politica, principalmente a americana que é diferente da nossa. Senti dificuldade para entender os mecanismos nos primeiros episódios. Conversei com fãs de 'House of Cards' e percebi que é muito mais complexo, uma amiga chegou a dizer que após assistir 'Designated Survivor' conseguiu entender melhor House of Cards. Então fica a dica de duas série diferentes e maravilhosas.

Designated Survivor - 1ª Temporada | Crítica Designated Survivor - 1ª Temporada | Crítica Reviewed by Cintia Milanez on 10:00:00 Rating: 5