Reprodução/Divulgação

Andre Palme apresenta a versão brasileira da Storytel

Com a promessa de ampliar a demanda de conteúdos de áudio em português, a sueca Storytel chegou ao Brasil em setembro. Sua plataforma de streaming inclui audiobooks, podcasts, séries, produções originais, e-books e conteúdos informativos, como notícias, astrologia, entre outros. O assinante da plataforma paga o valor mensal de R$27,90 e tem acesso a todo o conteúdo, incluindo alguns exclusivos, que não são disponibilizados na concorrência.

Para saber um pouco mais da Storytel no Brasil, seu funcionamento, escolha de conteúdos e outras ideias, conversamos por e-mail com Andre Palme, gerente da Storytel no país. Confira a entrevista na sequência.

O formato do áudio digital cresceu muito nos últimos dois anos. Quais foram os desafios para entender o público brasileiro, desenvolver o projeto e encontrar títulos para a plataforma?

O mercado do áudio está em expansão e o fato do áudio permitir que seu consumo seja realizado praticamente em qualquer momento, inclusive no chuveiro, ao caminhar na rua ou no parque, por exemplo, faz com que haja um espaço para o crescimento deste segmento. Prova disso, é um levantamento que fizemos recentemente, com dados do TGI/IBOPE, sobre a propensão e interesse em ouvir conteúdos em áudio no Brasil que mostrou que cerca de 11% da população consome ou está propensa a consumir conteúdos em áudio, além disso, cerca de 60% das pessoas que consomem videos-on-demand estão propensas a consumir conteúdo de áudio entretenimento, assim como pessoas que costumam baixar séries de TV, filmes e jogos (12,3%.; 19,07%; 20,6%, respectivamente). O áudio expande o acesso à informação e entretenimento, apresentando um formato adicional e complementar para o consumidor. Trata-se de uma oportunidade para consumo de conteúdos inseridos facilmente ao longo da jornada diária.
Equipe Storytel Brasil. Foto: Gui Cruz
Um dos pontos fortes da Storytel e também um dos nossos diferenciais é a curadoria humana. Quando a Storytel opta por entrar em um país, sempre há um período de pré-produção anterior, assim é um desafio bastante interessante e instigante. Estamos há cerca de 1 ano e meio nos preparando para o lançamento no Brasil e fazendo esta produção com muito carinho, indo atrás de bons conteúdos de editoras, criadores de conteúdo e recebendo diversos parceiros que também querem se juntar a nós. Temos uma equipe especializada que sempre atuou no mercado editorial, cultural e de entretenimento, estamos investindo na produção de conteúdos diversos e alguns deles exclusivos. Trata-se de um importante mix para dar ao consumidor variedade e qualidade.

Vocês trazem a ideia dos livros e outros projetos de áudio chegarem antes da versão em texto. É feito uma curadoria para a escolha desse conteúdo ou é indicação/interesse de cada editora?

Sim, além de audiobooks, séries, podcasts, mini-documentários, áudio dramas, entre outros, estarão também o que chamamos de ÁudioFirst, ou seja, um conteúdo inédito em outros formatos, produzido e lançado, pela primeira vez, em áudio (e que depois pode se tornar um conteúdo impresso, entre outros, por exemplo). Neste caso, há a curadoria da Storytel sempre envolvida na seleção do conteúdo, que pode vir via procura da Storytel ou indicado pelas editoras parceiras.

O contato com editoras e autores está sendo fácil? Existe exclusividade com alguma editora nacional?

Em nosso catálogo brasileiro contamos com conteúdos exclusivos e não exclusivos também de diversas editoras e de vários criadores de conteúdo. Há produtos exclusivos como audiobooks, por exemplo, que só estarão disponíveis na plataforma da Storytel, como é o caso das obras de Agatha Christie, cujo primeiro título que lançamos é Assassinato no Expresso Oriente. Trabalhamos também com exclusividade para conteúdos como podcasts, caso dos já disponíveis Fredcast e Navegando no cosmos, de Fred Elboni e Madama Brona, respectivamente, além de séries como Os Sete, de André Vianco, primeira série de livros brasileira disponível na plataforma.

Existirá alguma média de inserção de novos livros nacionais durante a semana ou mês? Vão aceitar sugestões dos usuários?

Todos os meses teremos novidades exclusivas na plataforma, assim como conteúdos de obras já conhecidas nacionalmente. Nosso mix de ofertas ao consumidor será sempre vasto. Como comentamos acima, um de nossos diferenciais é a curadoria, por isso, uma das novidades - que estamos inaugurando no mercado de áudio entretenimento e audiobooks - é o podcast de curadoria, nele o consumidor poderá, justamente, conhecer os novos conteúdos, por meio de entrevistas com narradores, autores, criadores etc. O Comece Por Aqui é um podcast mensal e feito sempre pela nossa equipe brasileira de conteúdo.

Como é feita a escolha dos narradores? Vocês possuem um banco de vozes ou convidam de acordo com o projeto?

O convite é sempre feito por projeto. Os narradores são dubladores profissionais ou atores de teatro e até os próprios autores, a depender dos conteúdos. O desafio, positivo e instigante, é encontrar as melhores vozes para cada tipo de conteúdo em áudio. Para um de nossos lançamentos na fase da estreia, O Assassinato no Expresso Oriente, de Agatha Christie, por exemplo, convidamos Mauro Ramos, estrela da dublagem brasileira, dono das vozes de Pumba e Shrek, entre outras emblemáticas personagens. Foi um excelente “casamento”, o Mauro foi fundamental para esta produção e descobrimos que ele é um grande fã da Agatha Christie e, especificamente, deste livro também. Contamos ainda com estúdios próprios, cuja estrutura veio da Espanha e é padronizada em todos os países nos quais a Storytel atua, no entanto, também trabalhamos com estúdios parceiros.

Durante o YouPix Summit foi apresentado um painel sobre as tendências de áudio entretenimento no Brasil. Qual a importância dos podcasts para a Storytel? Como pretendem competir com as plataformas de audição livre?

Aqui no país, já estamos, como falei acima, bastante habituados a serviços de streaming. Veja, os brasileiros estão acostumados, cada vez mais, ao streaming, serviço que faz parte da nossa rotina, impulsionado pela presença da internet e dos smartphones, que chega a mais de 75% da população do país. E este percentual só tende a aumentar. Além disso, os podcasts cresceram 330%, recentemente, segundo pesquisa da rádio CBN e da Associação Brasileira de Podcasters (ABPod). Como plataforma de áudio entretenimento, a Storytel pode alcançar um público vasto, ou seja, também aquele público não necessariamente leitor, que gosta de conteúdo de entretenimento em outros formatos como TV. Aquele consumidor que não lê, mas consome podcast, informações em áudio e música. Nesse sentido, concorremos com todo mundo que atua com plataformas de streaming e concorremos com o tempo livre das pessoas. O áudio entretenimento é para ser degustado quando o corpo está ocupado e a cabeça livre. É muito fácil de inserir na rotina de qualquer pessoa. Somos uma plataforma que vai abrigar todo tipo de história e uma boa opção de consumo de entretenimento, com o conceito "tudo em um único local".
Fred Elboni, Chico Felitti e Madama Brona na mesa 'Conteúdo sem tela, o futuro pela voz', durante do YouPix Summit. Foto: Daniela Raposo
Para nossa estreia no Brasil, por exemplo, contamos com podcasts exclusivos, como o do escritor e roteirista, Fred Elboni. Fredcast é uma série onde o autor conversa com o ouvinte em 10 episódios sobre relacionamentos e aborda temas como autoestima, amor, aprendizado, saudade, culpa, sexo, sensibilidade, amizade etc. Outro destaque é o Navegando no cosmos, podcast exclusivo de Madama Brona, no qual a influenciadora fala sobre signos, momentos astrológicos, amor e autoconhecimento, de uma forma divertida e moderna.

Como mencionado anteriormente, teremos também o Comece Por Aqui, produzido pela equipe da Storytel Brasil, onde o ouvinte descobrirá os destaques de conteúdos do mês na plataforma, com entrevistas e curiosidades sobre autores, podcasters, narradores e muito mais.
 Monja Coen lançará o podcast 'Meditação Zen'
Já em outubro, chega na plataforma, com exclusividade, o podcast Meditação Zen, da Monja Coen. São 10 episódios nos quais Coen mostrará o que é a meditação Zazen e como meditar, com dicas e histórias inspiradoras para refletir sobre nosso papel como seres humanos.

Pretendem abrir um espaço para seleção de projetos ou ideias para desenvolvimento exclusivo na plataforma?

Estamos sempre atentos e abertos a novos conteúdos que possam fazer parte da plataforma, vindo de editoras, autores ou produtores de conteúdo. Para a escolha do que será ou não disponibilizado na Storytel no Brasil contamos com uma equipe curadora que atua no mercado editorial e cultural há bastante tempo, com expertise em edição, aquisição e produção de conteúdo.

Andre Palme apresenta a versão brasileira da Storytel Andre Palme apresenta a versão brasileira da Storytel Reviewed by Lucio Pozzobon on sexta-feira, setembro 20, 2019 Rating: 5

0 COMENTÁRIOS

Postar um comentário

comentários
DISQUS