Reprodução/Divulgação

Meu Malvado Favorito 2 | Crítica


Quando o mundo precisava de um herói, eles chamaram um vilão.

'Meu Malvado Favorito 2' é a sequência altamente desejada de uma das melhores animações já feitas. Foi bastante singular como em vez de o mocinho típico como o personagem principal, eles colocaram um vilão como protagonista (embora ele acabou bem) o que tornou o primeiro filme mais divertido de assistir. Além de seu nariz pontudo e sotaque hilariante, também nos foi apresentados os Minions, seres amarelos extremamente adoráveis e travessos, que falam coisas quase totalmente incompreensíveis em seu próprio idioma único. E não podemos deixar de citar o coração do filme com as meninas (Margo, Edith e Agnes).

Desta vez, Gru não é mais um vilão. Ele está dedicando sua vida a ser pai e criar suas três filhas adoráveis. Agora também administra o seu negócio de fabricação de geleias  Mas quando um vilão rouba uma fórmula secreta (chamado PX-41), que pode ameaçar toda a civilização, Gru é recrutado pela Liga Anti-Vilão, dirigido por Silas Bundósvisky (já imagem Minions rindo ao ouvir isso), para acabar com este novo vilão. Sua parceira é uma mulher engraçada de cabelos laranja chamada Lucy Wilde.

Gru está enfrentando diferentes tipos de experiências agora. Ele tornou-se um pai. Ele está gerenciando seu negócio de geleia  Mas ele é também, pela primeira vez questionado sobre o amor que está assombrando ele devido a uma experiência do passado em seus dias na escola. O amor é um tema central para a história desta vez. Não é só Gru, mas a filha mais velha, Margo, também experimenta a adrenalina de se apaixonar. Mesmo Dave (um Minion), um dos muitos servos de Gru, se apaixona. Este tema de amor é o que define esta sequência como melhor que o original.

Nós temos uma série de novos personagens agora. O primeiro deles é Lucy Wilde, a mulher de cabelos laranja que trabalha para o L.A.V e, eventualmente, torna-se o interesse amoroso de Gru. Suas ações engraçadas e comportamento hiperativo fazem dela uma adição fantástica para a vasta gama de personagens vibrantes aqui. Há também Silas Bundósvisky, o líder da AVL. A adição final para a lista de personagens é Eduardo Perez, dono de um restaurante mexicano, cuja identidade real provoca a dizer: "não é mais do que aparenta."

Entretanto nenhum dos personagens se comparam com o exército adorável de Minions amarelos. Eles SEM DÚVIDA ALGUMA, roubaram todo o filme. Eles têm uma química fantástica. Todo som que sai da sua língua estranha é apenas hilariante. Desta vez, os Minions tem mais cenas dedicadas a eles também, em comparação com sua aparição no primeiro filme. Ah, e não se esqueça Dr. Nefario também, que, infelizmente, tem sua aparência minimizada.

A comédia funciona aqui também. As piadas são bem-humoradas e a maioria delas funciona para todas as idades. Algumas podem não serem originais, mas ainda são capazes de lhe dar uma risada.

Os efeitos visuais são incríveis. Os conjuntos é uma tela completamente cheia de cores vibrantes e isso só faz o filme ganhar mais vida. Tudo é muito bem detalhado e se torna um deleite para os olhos. O 3D é mais uma escolha opcional, porém, mas algumas cenas são especialmente adaptados para 3D como eles literalmente saltam da tela, especialmente os créditos finais. Não perca essa.



Encerro dizendo que poucas sequência são melhores que o original, e em minha humilde opinião, 'Meu Malvado Favorito 2' é uma delas. Imperdível.

Meu Malvado Favorito 2 | Crítica Meu Malvado Favorito 2 | Crítica Reviewed by Marko Miller on quarta-feira, julho 10, 2013 Rating: 5
comentários
DISQUS