Reprodução/Divulgação

Como se Tornar o Pior Aluno da Escola | Crítica


Danilo Gentili lançou em 2009 o livro 'Como se Tornar o Pior Aluno da Escola', pela Panda Books, e gerou muita polêmica na época e acabou ganhando um selo de "impróprio para menores de 18 anos". Obviamente esses tipos de informação acabam chamando a atenção do público, principalmente o adolescente, e foi fundamental para o crescimento nas vendas do mesmo. Oito anos depois, em uma parceria com da Paris Filmes, Tele Cine, Warner e Clube Filmes, os "ensinamentos" do comediante chegaram nas telas do cinema.

O filme, voltado para o público adolescente, traz uma narrativa muito simples. Pedro (Daniel Pimentel) passa por um drama familiar e isso faz com que ele perca a concentração e suas notas decaem muito na escola. Depois de passar por um constrangimento com a Professora de Matemática (Joana Fomm), o garoto precisa conversar com o Diretor Ademar (Carlos Villagrán), um senhor que preza que a escola seja um local 100% sem bullying. O diretor deixa claro para o garoto, que a única maneira dele sobreviver àquele ano escolar é tirando a nota máxima na prova final e assim seguiria para o Ensino Médio, junto a seu melhor amigo Bernardo (Bruno Munhoz).


Apesar dele saber que a melhor possibilidade é estudar bastante e fazer de tudo para não reprovar, Pedro, em um momento que está no banheiro da escola, encontra uma caixa com coisas do passado, que pertenceram a um antigo aluno do Colégio Albert Einstein. Na caixa, Pedro encontrou um pouco de tudo: cigarros, brinquedos de choque e um caderno cheio de dicas para sobreviver a escola e tornar-se o "Pior Aluno".

Para isso, ele precisaria de um mestre para seguir aquelas dicas, encontrando o pior aluno original (Danilo Gentili). E com ajuda de Bernardo e do faxineiro (Moacyr Franco), Pedro vai ao encontro de seu novo "instrutor" para uma vida perfeita na escola. Porém, o que era para ser uma simples tentativa de melhorar suas notas, acabou tornando-se um estilo de vida para os dois garotos, principalmente quando assunto era pregar peças nos colegas e zerar o placar anti-bullying.


'Como se Tornar o Pior Aluno da Escola' tem pontos divertidos dentro de sua história. Obviamente, não concordo com algumas atitudes um tanto quanto absurdas e irresponsáveis de alguns dos personagens, principalmente as do "pior aluno".

É claro que, como em qualquer filme adolescente, temos cenas, reações e atitudes extremamente exageradas. Afinal, sem elas não teríamos os pontos cômicos necessários para uma comédia. Os jovens do elenco, Daniel Pimentel e Bruno Munhoz, apesar de não possuírem experiência no cinema, mostram-se muito bons em seus papéis e não tiveram medo de passar por cenas constrangedoras. Dá até pra lembrar um pouco de Jonah Hill e Michael Cera, em 'Superbad: É Hoje'.

Porém não dá para deixar passar o personagem do autor da história, Danilo Gentili. Sinceramente, não sei se foi a escolha certa ter ele no elenco como o "pior aluno". Eu sei o quanto é bom ter o controle de seu conteúdo, mas ele já estava envolvido na produção executiva e roteiro, o que é bastante. E sua participação, apesar de importante, ficou parecendo uma esquete qualquer do seu talk show. Talvez esse distanciamento do criador e criatura fosse necessário para que o personagem fosse mais convincente.


Carlos Villagrán ganhou muito destaque nas divulgações e fez um bom papel, porém faltou um pouco de treino da sua dicção na língua portuguesa. Algumas cenas senti falta daquela legenda à la Erick Jacquin, do Master Chef Brasil, para entender ao certo o que dizia. Para falar a verdade, Moacyr Franco impressionou muito mais no papel do faxineiro desbocado do que o diretor que é contra o bullying e pregava bons costumes.

Antes de terminar, não posso deixar de falar sobre as cenas do personagem Cristiano, interpretado por Fábio Porchat. Pra ser bem sincero, quando soube que ele teria uma cena escrota no filme, não imaginei que seria como a que foi apresentada, com um pedido de masturbação aos personagens principais, e que como resultado teriam a localização do pior aluno. E já aviso: o personagem não sofre nenhuma consequência pela ação. Apesar de saber que isso é um filme, é muito claro que muitas pessoas não sabem distinguir realidade e ficção, o que pode prejudicar muito o ator (que é menor de idade). Isso passou um pouco dos limites das piadas sem noção e apelidos maldosos, como "Rasga Mãe".

No geral, 'Como se Tornar o Pior Aluno da Escola' é um filme para os adolescentes, que depois podem discutir os assuntos entre amigos ou até com os pais que os acompanharem (na sessão que fui, a maior parte estava com os pais). Não é um filme extraordinário ou com uma história com elementos novos, mas entretêm dentro do esperado. E claro, deixa um final (após os primeiros créditos) aberto para uma sequência.

Como se Tornar o Pior Aluno da Escola | Crítica Como se Tornar o Pior Aluno da Escola | Crítica Reviewed by Lucio Pozzobon on sexta-feira, outubro 13, 2017 Rating: 5

0 COMENTÁRIOS

Postar um comentário

comentários
DISQUS