Reprodução/Divulgação

Ela Dança, Eu Danço 3 | Crítica


Finalmente consegui alugar e assistir o filme “Ela Danço, Eu Danço 3” (sim pessoal, eu alugo os filmes na locadora). 

O filme para mim é o melhor dos 3 da trilogia, mas lembrando, quem ainda não assistiu o 2, vai ter que assistir para entender o 3, pois muitos personagens aparecem e algumas características não são especificadas e pode causar um certo período de “HÃ?!”.

O principal desta vez é Moose o amigo da escola de artes de Andie no filme 2. Ele está chagando em Nova York para estudar engenharia e levou junto com ele, sua amiga de infância Camille, interpretada por Alyson Stoner de Camp Rock e Camp Rock 2. Logo nas primeiras cenas Moose já participa de uma competição de dançaem um parque perto da universidade e claro, causa uma “briga” com a equipe “Os Samurais”. Nesse momento ele conhece Luke, da equipe “Os Piratas” que é a grande inimiga dos “Samurais”.

O filme envolve muitas cenas de dança e misturou um pouco com a ideia do Parkour, o que deixou o filme mais interessante. Quando falei que quem não assistiu o 2 deve, é pelo seguinte. Na competição final, como “Os Piratas” perderam alguns integrantes eles precisam de pessoas para poder continuar na competição. Então, Moose entra em contato com seus antigos amigos do “The Streets” e consegue trazê-los para colaborar com a competição.




Infelizmente o filme não foi lançado no Brasil em 3D que deixaria muitas danças muito interessantes, mas caso você queira conferir esta versão, você encontra pela net alguns trechos ou também pode comprar a versão em bluray importada dos EUA, que acompanha a versão 3D. E o melhor essa edição vem com áudio e legendas em português do Brasil!

Ela Dança, Eu Danço 3 | Crítica Ela Dança, Eu Danço 3 | Crítica Reviewed by Lucio Pozzobon on 10:13:00 Rating: 5