Reprodução/Divulgação

Beyoncé acredita no amor. E você?


Depois de um tempo sem lançar singles, Beyoncé lançou, um dia antes de participar do Super Bowl com Coldplay e Bruno Mars, 'Formation'. Na música a cantora relembra momentos da história afro-americana, além de ressaltar seus orgulhos, como o cabelo afro (incluindo uma participação de sua filha com Jay-Z, Blue Ivy), nariz negro, os estados de Alabama, New Orleans e Luisiana, referências ao movimento Black Lives Matter e o empoderamento dos negros para as batalhas diárias, mostrando que nunca devem desistir de nada.



No dia seguinte, durante a participação no Super Bowl, Beyoncé surge com suas dançarinas para a primeira apresentação ao vivo de 'Formation'. A maior parte do público vai a loucura, mas os políticos e público conservador não curtiram a apresentação, que serviu como um protesto, principalmente relacionado a série de mortes de jovens negros pela polícia americana.

Em seu figurino, o X dourado não fazia somente uma referência a Michael Jackson, um dos homenageados do 50º Super Bowl. O X lembrava Malcolm X, que na década de 60 buscou a igualidade de direitos para a população negra. E com o mesmo X Beyoncé e suas dançarinas, que vestiam um figurino fazendo referência ao uniforme das Panteras Negras, uma organização criada para monitorar e denunciar o abuso policial contra os negros na Califórnia, fizeram um X no campo, como um protesto contra o abuso de poder dos policiais.



Após a apresentação, foi organizado pela internet um protesto em frente a NFL no próximo dia 18. Resta saber se ele vai acontecer e vai trazer todo esse público revoltado contra a cantora e a organizadora dos jogos. E claro, vários políticos deram as caras a convite dos veículos de comunicação, para comentar a apresentação. Um deles foi Rudolph Giuliani, ex-prefeito de Nova York, que disse que a apresentação foi uma forma de "ataque aos policiais americanos" e que isso não deveria ser feito pois "são eles que defendem a população". Mas sabemos muito bem que não é isso que acontece. Não somente nos EUA, mas no mundo todo.

Mas Beyoncé recebeu retornos positivos, como o de Jessica Willians, do The Daily Show, que lembrou o público que assistia: BEYONCÉ É NEGRA! (assista aqui a versão completa - sem legendas)


Jessica Williams, atriz e comediante, fala sobre as críticas feitas ao novo lançamento de Beyoncé e a apresentação no #SuperBowl.
Publicado por BEYHIVE.com.br em Terça, 9 de fevereiro de 2016

Com toda essa repercussão ativa na imprensa mundial, o Saturday Night Live aproveitou e criou um trailer falso para o filme "O Dia que Beyoncé virou Negra". Um tipo de filme apocaliptico em que os brancos querem fugir dos EUA quando descobre a "verdade". E como já diziam, "a ficção imita a realidade" mais uma vez.



"O Dia que Beyoncé virou Negra" - assista, legendada, à paródia do programa SNL sobre a reação de algumas pessoas após o lançamento de #Formation. #BEYHIVE
Publicado por BEYHIVE.com.br em Domingo, 14 de fevereiro de 2016

Há quem diga que Beyoncé esteja lançando essa música para chamar atenção ou que a letra não representa a realidade do racismo nos Estados Unidos. Porém a canção e performance no Super Bowl garantiram que os direitos e segurança dos afro-americanos fossem discutidos em vários veículos durante toda a semana e com sua nova turnê a caminho, devemos esperar mais manifestações da cantora e seus fãs.



Mas a mensagem que deve ficar para tudo isso é aquela que foi apresentada no fim da apresentação de Beyoncé, Coldplay e Bruno Mars: 'ACREDITE NO AMOR'!

Beyoncé acredita no amor. E você? Beyoncé acredita no amor. E você? Reviewed by Lucio Pozzobon on segunda-feira, fevereiro 15, 2016 Rating: 5

0 COMENTÁRIOS

Postar um comentário

comentários
DISQUS