Reprodução/Divulgação

Devious Maids - 3ª Temporada | Crítica


O mistério e o humor atingem seu ápice, na melhor temporada da série até agora.

Após duas ótimas temporadas, e um cliffhanger bombástico no fim da temporada passada, muitos ansiavam o retorno de 'Devious Maids' para saber o desfecho de todos os personagens.

Sem enrolação, todas as perguntas são respondidas logo nos primeiros minutos do episódio de estreia, para logo depois avançarmos alguns meses nas vidas dos principais personagens... E claro, o começo de um novo mistério.

Especialidade do criador Marc Cherry, o mistério é todo amarrado e não deixa nenhuma ponta solta, e sua solução é inegavelmente de cair o queixo. Trazer Taylor e Michael de volta, ao invés de apresentar novos personagens foi uma boa decisão, pois esses personagens já eram conhecidos do público e já tinham convívio com outros personagens.

Felizmente, todas as protagonistas tiveram ótimas storylines. Marisol (Ana Ortiz), além de uma promissora nova carreira, ainda se arriscou em um novo relacionamento amoroso. Infelizmente, os roteiristas optaram por colocar essa relação em segundo plano, pois Marisol passa muito mais tempo tentando solucionar o mistério da temporada do que com o novo namorado.

Rosie (Dania Ramirez) e Spence (Grant Show) finalmente se casam, mas como vimos no fim da temporada passada, o ex-marido de Rosie, Ernesto (Cristián de la Fuente) está vivo e logo entra em cena para procurar sua amada e seu filho. Por mais que essa história parecesse interessante no início, logo ficou batida, pois Ernesto não foi um personagem que agradasse os fãs além dos portes físicos. Além disso, os fãs esperaram duas temporadas inteiras para ver Rosie e Spence juntos, para tudo ser desperdiçado em poucos episódios. Felizmente, a inocência de Rosie se manteve intacta nos tirando boas risadas e a mesma ainda teve uma boa participação durante o mistério.

Carmen (Roselyn Sanchez) também não decepcionou nessa temporada. Agora trabalhando para os Powells, que certamente foi um dos pontos altos da temporada, e tendo um caso com Sebastien (Gilles Marini), a empregada mais ‘caliente’ de todas certamente conseguiu um bom destaque esse ano, revezando entre a comédia e o drama.

A gravidez de Zoila (Judy Reyes) também se mostrou um ótimo arco, mas ainda assim ficou em segundo plano, mas por um bom motivo. Dessa vez, Zoila e Genevieve (Susan Lucci) tiveram muito mais cenas juntas, o que nos rendeu brigas, reconciliações e uma cena no elevador simplesmente perfeita.

Uma grande novidade para essa temporada foram os Powelss. Os roteiristas acertaram a mão em humanizar Evelyn (Rebecca Wisocky) e Adrian (Tom Irwin), mas nem por isso o casal se tornou menos engraçado.

A saída de Valentina (Edy Ganem) e Remi (Drew Van Acker) também contribuiu positivamente para a série focar nas quatro protagonistas e no mistério, afinal o casal não tinha mais função nas histórias e separa-los novamente seria um desperdício de tempo.

Apesar de curta, a participação especial de Naya Rivera (Glee) como a empregada Blanca rendeu bons momentos e foi bem desenvolvida durante a temporada. Assim como as participações de Michelle Hurd como Jacklyn, John O’Hurley como Dr. Neff, Nathan Owens como Jesse, Julie Claire como Gail, Justina Machado como Reina e ainda o retorno de Valerie Mahaffey como Olivia. E claro, um retorno surpresa durante o Season Finale, que pode agradar alguns fãs e irritar outros.

A temporada certamente terminou de uma maneira “bombástica” e agora que temos a renovação para 4ª Temporada confirmada pelo Lifetime, podemos respirar aliviados e começar a contar os dias até o retorno das melhores empregadas de Beverly Hills.

Devious Maids - 3ª Temporada | Crítica Devious Maids - 3ª Temporada | Crítica Reviewed by Roberto de Carvalho Neto on segunda-feira, setembro 28, 2015 Rating: 5
comentários
DISQUS