Reprodução/Divulgação

DNCE anima Apoteose e mostra seu potencial como banda pop

Considerando que este foi o ano que mais fui em shows da vida, posso colocar na minha lista que o primeiro show internacional e ao vivo que assisti foi do DNCE. A banda formada por Joe Jonas, Jin Joo, Cole Whittle e Jack Lawless tem apenas um álbum, lançado em 2015 e relançado há poucas semanas no Japão e uma versão "jumbo" que incluem todos os extras da edição da Target, remixes e um de seus últimos sucessos 'Kissing Strangers', que teve participação de Nicki Minaj.

Apresentado por muitos como um "Maroon 5 para a nova geração", o DNCE traz para o palco o que em alguns clipes: diversão. E não só pela energia que eles jogam no palco (e suor também, até porque deu pra ver que eles sofrerem no dia com o calor). A sintonia da banda é o elemento principal para que tudo dê certo musicalmente.

Como era o show de abertura da turnê do Bruno Mars, na Praça da Apoteose, a banda não trouxe nenhuma estrutura grandiosa para o palco, até porque não estão em uma turnê oficial no momento. Mas sem dúvidas, se faltaram elementos visuais nos telões, as roupas dos integrantes trouxeram muito disso.

Joe estava com uma camiseta vermelha com escritos amarelos "15 segundos de fama"; Jin veio com uma roupa que parecia um plástico amarelo, cabelo colorido e um óculos redondo (quase um cosplay da Rita Lee); Cole faz aquela mistura maluca de roupas, meias diferentonas e seu moicano; e Jack era o mais simples, de jeans e camiseta.

Uma publicação compartilhada por DNCE (@dnce) em

No repertório, a banda apostou nos sucessos e ainda incluiu covers para animar o público que não conhece seu trabalho. Para abrir o show, um trecho de 'Gonna Fly Now', de Bill Conti foi tocado, dando sequência a seu último single 'Kissing Strangers'. Diferente do esperado, eles não usaram um vídeo ou áudio pré-gravado para a voz da Nicki Minaj. O baixista e tecladista Jack assume os vocais e faz um rap na hora. Pra falar a verdade foi um pouco difícil de entender o que ele disse, mas sua performance no palco é muito divertida e um tanto exagerada.


Seguindo o show, o público cantou junto 'DNCE', 'Body Moves', 'Toothbrush' e uma sequência de covers do The White Stripes, Spice Girls e Britney Spears. Mas é óbvio que a música que ecoou pela Marquês de Sapucaí foi a última, a que levou a banda às paradas musicais: 'Cake by the Ocean'. Na hora do tchau, Joe abre uma bandeira do Brasil e agradece junto a banda ao som de 'We Are the Champions', do Queen.

DNCE ainda é uma banda muito nova, mas consegue prender seu público com músicas animadas e apresentações divertidas. Era claro entre o público que muitos estavam ali principalmente por eles. Tinha até aqueles balões de letras douradas para chamar atenção da banda.

Ainda existe um distanciamento do público mais velho por relacionar o vocalista, Joe, ao Jonas Brothers/Disney Channel/Camp Rock. Porém, separar uma relação familiar (que também foi trabalho por um longo período) é muito difícil. Com o tempo esse estigma vai sendo deixado de lado e as pessoas poderão ver o DNCE como uma ótima banda pop, ou dance rock, como eles mesmos se intitulam.

Na sequência você confere a playlist com as músicas apresentadas nos shows do Rio de Janeiro (18 e 19 de novembro).

DNCE anima Apoteose e mostra seu potencial como banda pop DNCE anima Apoteose e mostra seu potencial como banda pop Reviewed by Lucio Pozzobon on quarta-feira, novembro 22, 2017 Rating: 5

0 COMENTÁRIOS

Postar um comentário

comentários
DISQUS