Reprodução/Divulgação

'Leonardo Da Vinci', de Walter Isaacson


Sou fã de Walter Isaacson desde que li o 'Steve Jobs', e quando soube que chegaria ao Brasil pela Editora Intrínseca uma biografia de Leonardo Da Vinci, uma das mentes que mais admiro nesse mundo também pelas mãos de Isaacson, não tive duvida nenhuma, esse livro seria obrigatório em minha lista de leitura do mês. O autor disseca o mito de um gênio e traz à vida o verdadeiro homem por trás da lenda - alguém com quem todos podem simpatizar e entender.

Pensei em tantas formas para começar escrevendo e me vi tropeçando em todos os inicios pois falar de Leonardo é como querer segurar o ar com as mãos, sua persona, seu trabalho e a pessoa em si, é tão vasto, grandioso e belo que é quase impossível encontrar um ponto por onde começar.

LEONARDO DA VINCI

Uma coisa que agora admiro verdadeiramente sobre ele é o espírito de "Faça Você Mesmo". A teorização nunca foi suficiente - ele precisava ficar sujo na experimentação. Se ele não pudesse construir um mecanismo, ele iria desenhá-lo para entender se ele funciona. Sua arte estava tão profundamente enraizada na realidade - de matemática, biologia, geografia, óptica, física, geometria, anatomia, filosofia, mecânica, engenharia, - que qualquer coisa que este homem estava fazendo fosse inseparável literalmente de qualquer outra coisa que ele fizesse ou faria.


Quero dizer, que louco ele era, um perfeccionista total e insuportável: no final da vida, ele se interessou pelo movimento da água e, em seu caderno, descreveu 730 fatos que ele notou sobre o movimento da água. 730.  Isso é insano! Você pode até imaginar seu avô fazendo isso, observando a água por semanas e Leonardo fez isso com toda a dedicação que sua alma dedicada poderia demonstrar.

Para nós, hoje a maioria das contribuições científicas e artísticas de Leonardo são difíceis de conceber e entender porque ele estava muito à frente do seu tempo. É difícil imaginar o poder que a representação visual precisa teve no século XV, mas antes que Leonardo dissecasse mais de 30 cadáveres para desenhar a anatomia do corpo humano, seus músculos e veias - ninguém já viu tal precisão, nem mesmo em um livro de anatomia.


Os desenhos de Leonardo eram, literalmente, a primeira vez que as pessoas viram como seu próprio corpo se parece, como funciona por dentro; eles entenderam o batimento de seus próprios corações. O próprio fato de que os dentes tenham raízes foi descoberto como resultado de Leonardo querer colocar sombras corretamente no sorriso de Mona Lisa. O desenho foi literalmente um meio para ciência e compreensão na era pré-fotografia, e tudo foi examinado sob a ponta do lápis de Leonardo - do movimento dos pássaros até as profundezas da alma humana.

Mas a coisa que eu mais admiro em toda essa essência que o Homem Leonardo foi, é sua infinita curiosidade. Uma mente livre para vagar e, portanto, sempre distraído, mas também totalmente focado no que sua pesquisa precisasse.

Steve Jobs disse uma vez que Leonardo era seu herói:
Ele enxergava beleza tanto na arte quanto na engenharia e a habilidade de combinar as duas coisas foi o que o transformou em um gênio.

O LIVRO

Essa é a 3ª biografia de Da Vinci que leio, e sem dúvida alguma foi a mais completa e abrangente pela qual já passei. Cheia de imagens coloridas detalhes, traços, sombras, detalhes e informações complementares sobre as obras, pesquisas, cadernos e anotações sem fim de Leonardo fizeram toda diferença nessa edição. A riqueza de informações faz com que Isaacson nos transporte no que posso chamar de "mais próximo de uma viagem no tempo que faremos".

O livro entrega uma verdadeira jornada desde sua infância, seus estudos por conta própria, suas viagens, os tão famosos Cadernos de Leonardo, descobrimos de onde surgiu o 'Homem Vitruviano'. Conhecemos também seu lado cientista, matemático, a construção e idealização de um dos maiores quadros da humanidade 'A Última Ceia', seu envolvimento com os Bórgia, chegando em sua obra-prima 'Monalisa'.


Vocês já podem ver por esse breve resumo que o livro não é pequeno e que suas 640 páginas são literalmente uma viagem através do tempo.

Mesmo não sendo um gênero apreciado por todos, acredito que determinadas biografias deviam ser lidas, pois mais que conhecer um pedaço da vida e intenção de seus personagens, nos mostra um lado do ser humano, que todos nós possuímos ou almejamos alcançar.

E que sejamos sempre como Leonardo: "curiosos apaixonados e sempre dispostos a se surpreender."

Compre 'Leonardo Da Vinci'

'Leonardo Da Vinci', de Walter Isaacson 'Leonardo Da Vinci', de Walter Isaacson Reviewed by Marko Miller on segunda-feira, dezembro 04, 2017 Rating: 5

0 COMENTÁRIOS

Postar um comentário

comentários
DISQUS