Reprodução/Divulgação

'Ousadas: Mulheres que só fazem o que querem', de Pénélope Bagieu

'Ousadas: Mulheres que só fazem o que querem #1', da Editora Nemo, é uma aclamação ao feminismo. Crescemos lendo e vendo histórias de homens que mudaram o mundo, defenderam seus povos, realizaram grandes atos de coragem, lutaram pela mulher amada etc.

Mas e as mulheres?

Sempre foram coadjuvantes nas histórias. E quando são as protagonistas, muitas vezes dependem do homem e sua vida gira em torno de um.

Aliás, se você quer saber se uma obra de ficção faz bom uso das personagens femininas, faça o Teste de Bechdel (tem até aplicativo para facilitar!). Ele avalia três coisas: se há duas personagens femininas com nome, ao menos uma cena em que conversam entre si e o assunto não pode ser sobre homem.

Em "Ousadas", escrito e ilustrado pela francesa Pénélope Bagieu, toda essa ideia de mulher como coadjuvante de sua própria história vem à baixo. Conhecemos histórias reais de mulheres que mudaram sua comunidade, seu país e até o mundo.
Reprodução - ®Pénélope Bagieu | Editora Nemo
O melhor é que é tudo ilustrado, e as histórias são bem resumidas. Eu amo biografias, mas confesso que não tenho muita paciência pra ler esse tipo de livro. Como essa graphic novel traz a história de dezenas de mulheres, a vida de cada uma foi resumida, mas dá pra entender tudo direitinho e ter uma visão do que elas representaram.
Reprodução - ®Pénélope Bagieu | Editora Nemo
As ilustrações da Penélope são uma maravilha à parte! Eu adoro traços como o dela, que não são tão rebuscados, mas ao mesmo tempo tem detalhes que dão um toque especial. Vale a pena fica uns minutinhos a mais na página depois de ler, prestando atenção nas particularidades dos quadros.
Reprodução - ®Pénélope Bagieu | Editora Nemo
Tenho que comentar também do trabalho bem feito do tradutor Fernando Scheibe, que soube deixar tudo com uma linguagem de fácil compreensão e expressões atuais.

Todas as histórias nos ensinam algo e são inspiradoras. Você quer exemplo de mulher que enfrentou a sociedade para exercer a medicina e teve até que se passar por homem? Tem. Mulher que foi contra todos e conseguiu ser enterrada ao lado do marido, sendo que as religiões não permitiam? Tem. Procura saber mais sobre a mulher que ganhou o Prêmio Nobel da Paz em em 2011? Tem também.
Reprodução - ®Pénélope Bagieu | Editora Nemo
Nem todas foram mulheres boazinhas e que só fizeram o bem. Mulher é um ser humano, e assim como todo mundo também pode ser má e comete erros. Mas o legal dessa graphic novel é que não mostra só isso, mas sim toda a pluralidade dessas mulheres, com as boas e más ações.

Se você é mulher, acho que é essencial conhecer a história de mulheres inspiradores e que mudaram a realidade de sua época. 'Ousadas' é uma ótima pedida pra isso. Se você é homem, deveria conhecer mais histórias assim também, afinal, já enaltecemos demais apenas ídolos masculinos.
Reprodução - ®Pénélope Bagieu | Editora Nemo

'Ousadas: Mulheres que só fazem o que querem', de Pénélope Bagieu 'Ousadas: Mulheres que só fazem o que querem', de Pénélope Bagieu Reviewed by Desirée Soares on segunda-feira, agosto 20, 2018 Rating: 5

0 COMENTÁRIOS

Postar um comentário

comentários
DISQUS