Reprodução/Divulgação

Estrelas Além do Tempo | Crítica


Em 'Estrelas Além do Tempo' conhecemos uma a história baseada em fatos reais à partir do livro de Margot Lee Shetterly, lançado no Brasil pela HarperCollins.

O enredo, que é apresentado durante a corrida espacial entre EUA e Rússia, no auge da Guerra Fria, apresenta três mulheres negras: Katherine Johnson, (Taraji P. Henson) um prodígio da matemática, Dorothy Vaughn (Octavia Spencer) líder e responsável pelo setor onde as mulheres negras trabalhavam dentro da NASA e Mary Jackson (Janelle Monáe) que era muito inteligente e tinha o talento de uma engenheira, mas essa formação era impossível para uma mulher e ainda mais negra nos anos 60.

A NASA contava com um grupo de mulheres que trabalhavam nas operações tecnológicas. Essas três mulheres forma escolhidas para trabalhar analisar os cálculos e trajetórias que eram feitos por astrofísicos e engenheiros, porém até o momento ninguém havia conseguido executar tal tarefa, sendo assim fazendo os EUA ficarem para trás da Rússia. 



Katherine, Dorothy e Mary são amigas e passam a trabalhar no meio de homens brancos, numa época marcada por protestos e uma longa luta contra o preconceito. Tendo que viver com lugares divididos por cor, local para pessoas negras, refeitório, livros na Biblioteca e até mesmo banheiros para pessoas de cor. O filme mostra a união dessas mulheres e a luta diária para trabalhar em um local que não são bem vindas, porém são necessárias.

O filme ainda conta com a participação de Kristen Dunst (Homem Aranha), a verdadeira megera do departamento, Jim Parsons (The Big Bang Theory) que não aceita uma mulher fazendo cálculos melhor que ele e Kevin Costner (eterno "Guarda-Costas") que desempenha com maestria o papel de supervisor do departamento, o verdadeiro responsável por tudo.


Dirigido por Theodore Melfi (Um Santo Vizinho), até então com poucos longas no currículo, executou um bom trabalho, aliado a uma boa fotografia e uma ótima trilha sonora, assinada por Pharrell Williams. O filme prende público do começo ao fim, é leve e acerta no tom da comédia.

Mesmo tratando de um assunto tão delicado, abordando cálculos e termos espaciais, não é difícil a compreensão da história. O grande peso do filme é o elenco maravilhoso. Não foi à toa que ganhou o prêmio de Melhor Elenco no SAG Awards.

O filme foi indicado ao Oscar 2017 nas categorias de melhor filme, roteiro adaptado e melhor atriz coadjuvante para Octavia Spencer. 'Estrelas Além do Tempo' é um filme que mostra superação e persistência, promove representatividade levantando questões necessárias nos dias atuais.



Compre o livro 'Estrelas Além do Tempo'

Estrelas Além do Tempo | Crítica Estrelas Além do Tempo | Crítica Reviewed by Cintia Milanez on quarta-feira, fevereiro 01, 2017 Rating: 5

0 COMENTÁRIOS

Postar um comentário

comentários
DISQUS