Reprodução/Divulgação

John Wick: Um Novo Dia Para Matar | Critica


John Wick está de volta, em 'Um Novo dia para Matar', e é forçado a deixar sua aposentadoria mais uma vez. Um homem de muitos nomes: Johnathan, Sr. Wick, Bicho-papão, todos eles temidos pela sua fama de assassino profissional. Uma lenda, todos sabem quem é John Wick. Bem, talvez nem todos.

No primeiro filme, 'De volta ao Jogo', John Wick (Keanu Reeves) está em luto após a morte da esposa que perdeu a luta contra o câncer. Ele tinha acabado de ganhar um filhote de cachorro, último presente da esposa, quando sua casa é assaltada, ele é espancado e num ato de violência matam o cachorro. Eles não faziam ideia do tamanho da enrascada que se meteram ao cruzar o caminho de John Wick com sangue nos olhos ele traça um plano de vingança.


'Um novo dia para Matar' começa exatamente aonde o anterior parou. Quando finalmente ele acha que sua vingança acabou e que ele pode curtir a aposentadoria em paz, um antigo "amigo" do passado, Santino D'Antonio (Ricardo Scamarcio), retorna para cobrar uma antiga dívida. A primeira reação de John é recusar, então percebemos que existe toda uma organização por trás da vida de assassinos de aluguel. Leis que devem ser cumpridas, Não se pode sair e voltar como bem entende. Tudo tem consequências. Encurralado ele aceita a missão e após finalizar a tarefa sua cabeça vai a prêmio. Ele é o homem mais procurado e todos os assassinos profissionais estão na sua cola. 

Com cenas de ação e lutas incríveis, Keanu Reeves mostra intimidade com o personagem, mostra o quanto está confortável com as cenas de luta. Ele aprendeu Jiu Jitsu brasileiro para o filme, o que só incrementou as cenas corpo a corpo. No decorrer do filme você percebe que a fama de John Wick é verdadeira. Contrariando outros filmes de ação onde o mocinho sai intacto depois de uma briga, Wick apanha tanto que chega a dar pena e ao mesmo tempo o deixa o público ansioso para saber como o "bicho-papão" vai sair dessa. 

O elenco é um ponto fortíssimo do filme que mostra vilões aposentados com rosto conhecidos e nostálgicos. Marca também o reencontro entre Keanu e Laurence Fishburne (Morpheus) que não trabalhavam juntos desde Matrix.


Quem assina o roteiro é Derek Kolstad e Chad Stahelski que também marca sua excelente estreia como diretor. Chad e Keanu são amigos desde que trabalharam em "Caçadores de Emoções" em 1991. Chad também foi dublê de Keanu na trilogia Matrix. Essa amizade só mostra o sucesso dessa parceria. Comprova também que Chad Stahelski está só começando, guarde bem esse nome.

John Wick renova um novo conceito para filmes de ação. A continuação consegue ser ainda melhor que o primeiro filme, só deixa um gosto de quero mais. O seu futuro é promissor, um terceiro filme já é cotado e até uma possível série de TV. Nada foi confirmado até o momento, por enquanto o primeiro filme você pode conferir na Netflix e o segundo nos cinemas.

John Wick: Um Novo Dia Para Matar | Critica John Wick: Um Novo Dia Para Matar | Critica Reviewed by Cintia Milanez on 11:41:00 Rating: 5