Reprodução/Divulgação

Os 15 anos de 'Scooby-Doo: O Filme'

Pode parecer difícil de acreditar, mas já faz quinze anos que Fred, Daphne, Velma, Salsicha e Scooby-Doo tornaram-se personagens de carne e osso (e CGI), e finalmente chegaram às telas do cinema, após anos conquistando gerações com as animações de Hanna-Barbera.

Apesar de ter sido lançado em 2002, a ideia de um live-action de Scooby-Doo já estava nos planos da Warner desde 1994, quando o produtor Charles Roven (Cidades dos Anjos) trouxe a ideia até o estúdio já que a série 'Scooby-Doo, Cadê Você!' ainda era extremamente popular. 

Ela tinha estreado em em 1969, rendendo inúmeros spin-offs e especiais para TV. Na época, Jim Carrey (Todo Poderoso) e Mike Myers (Austin Powers) ficaram interessados no papel de Salsicha. No entanto, apenas em 2000 a revista Variety confirmou que a Warner havia dado o sinal verde para a produção, e contratado Raja Gosnell (Nunca Fui Beijada/Vovó Zona) para o cargo de diretor e James Gunn (Guardiões da Galáxia) ficou responsável pelo roteiro.


Após o sinal verde e a escolha do diretor, os produtores começaram a busca pelo elenco. George Clooney (Onze Homens e um Segredo) e Brendan Fraser (A Múmia) eram os favoritos para o papel de Fred Jones, mas Freddie Prinze Jr. (Eu Sei o que Vocês Fizeram no Verão Passado) foi o escolhido. 

Elizabeth Hurley (The Royals), Jennifer Love Hewitt (Ghost Whisperer) e Heather Graham (Se Beber, Não Case) eram cogitadas para o papel de Daphne Blake, mas Sarah Michelle Gellar (Buffy A Caça Vampiros) garantiu o papel. 

Para o papel de Velma Dinkley, o estúdio tinha interesse em Christina Ricci (A Família Addams) e Winona Ryder (Os Fantasmas se Divertem), mas nenhuma das duas aceitou. E assim, Linda Cardellini (ER – Plantão Médico) fisgou o papel da mais inteligente da turma. 

E por último, Matthew Lillard (Pânico) garantiu o papel do medroso e atrapalhado Salsicha Rogers. Já Neil Fanning (Navio Fantasma) foi o dublador do protagonista Scooby-Doo.

Posteriormente, Rowan Atkinson (Mr. Bean) e Isla Fisher (Os Delírios de Consumo de Becky Bloom) foram escalados em papéis adicionais.

A ideia inicial era realizar um filme com censura PG-13 (Não recomendado para menores de 13 anos), parodiando os principais elementos da clássica série animada, onde Salsicha originalmente seria um maconheiro, e o filme estaria repleto de referências a maconha, mas após o elenco fechar contrato com o estúdio, o filme foi reescrito para ficar mais "família". As filmagens iniciaram em 12 de fevereiro de 2001 em Queensland, Austrália, no parque temático Warner Bros. Movie World, e foram concluídas em junho do mesmo ano. 


Apesar das mudanças no roteiro, vários membros do elenco e da equipe de produção comentaram em entrevistas que algumas cenas mais pesadas chegaram a ser filmadas, assim como algumas piadas de baixo calão foram mantidas. Algumas dessas cenas foram incluídas nos extras do VHS e do DVD. No entanto, a atriz Sarah Michelle Gellar confirmou que chegou a filmar uma cena onde Daphne e Velma trocavam um beijo, mas tal cena nunca foi divulgada ao público.

Em 2017, 15 anos após a estreia do filme, o roteirista James Gunn chegou a declarar através de um post no Facebook que o filme recebeu a classificação R (Não recomendado para menores de 17 anos) nos Estados Unidos e por isso várias cenas tiveram que ser cortadas, e utilizaram CGI para cobrir o decote de algumas atrizes do filme. E assim, o filme recebeu a classificação PG (Parte do material pode não ser adequado para crianças).


'Scooby-Doo: O Filme' finalmente estreou nos cinemas norte-americanos em 14 de junho de 2002 recebendo, em sua maioria, críticas negativas. No entanto, a atuação de Lillard foi muito elogiada pelos críticos e pelos fãs, assim como os efeitos especiais que deram vida a Scooby-Doo e outras criaturas. Hoje, o filme possui 30% de aprovação no Rotten Tomatoes e apesar das críticas, o filme faturou incríveis US$ 54.1 milhões em seu primeiro fim de semana e conseguiu o primeiro lugar na bilheteria. 

No Brasil, o filme chegou em 4 de outubro de 2002. Mundialmente, o filme faturou US$ 275,7 milhões de dólares para um orçamento de US$ 84 milhões, tornando-se um grande sucesso comercial para a Warner Bros. Pictures, e o 15º filme mais bem-sucedido mundialmente em 2002.

Tanto sucesso logo chamou a atenção de outros estúdios e assim, a FOX produziu 'Garfield: O Filme' e 'Garfield 2'. A Warner lançou 'Zé Colméia: O Filme', além da Sony que investiu pesado em 'Os Smurfs' e 'Os Smurfs 2', ambos também dirigidos por Gosnell.

Sarah Michelle Gellar ganhou um Teen Choice Awards na categoria 'Atriz de Cinema' pelo filme, que também recebeu duas indicações no Framboesa de Ouro, nas categorias 'Pior Ator Coadjuvante' para Freddie Prinze Jr. e 'Pior filme para jovens', mas não ganhou nenhuma.


Devido ao enorme sucesso do filme, uma nova série animada foi produzida e exibida pelo Cartoon Network. 'O Que Há de Novo Scooby-Doo?' trazia Fred, Daphne, Velma, Salcicha e Scooby com os visuais popularizados pelo live-action, e dessa vez, tinham a ajuda da tecnologia para resolver os mistérios. A série foi exibida durante três temporadas entre 2002 e 2006, totalizando 42 episódios.

Além da nova série animada, uma sequência logo foi encomenda pelo estúdio. 'Scooby-Doo 2: Monstros à Solta' foi lançado em 2004, trazendo de volta o elenco de protagonistas do filme anterior, com visuais mais fiéis às animações, e um roteiro melhor trabalhado para se enquadrar na classificação PG. Apesar de ter tido críticas melhores, teve uma bilheteria inferior, cancelando os planos dos produtores para um possível terceiro filme.

Em 2009, um novo filme em live-action foi produzido e exibido pelo Cartoon Network. 'Scooby-Doo: O Mistério Começa' trazia um elenco mais jovem e desconhecido. Na época, o filme foi a maior audiência da história da emissora e rendeu a sequência 'Scooby-Doo! E a Maldição do Monstro do Lago' no ano seguinte. Apesar dos altos índices de audiência, ambos foram altamente criticados pelos mais saudosos fãs da Mistério S.A., além dos vergonhosos efeitos especiais.


Desde então, a Warner nunca deixou de investir na amada turma. Após o encerramento de 'O Que Há de Novo Scooby-Doo?', vieram 'Salsicha e Scooby Atrás das Pistas', 'Scooby-Doo! Mistério S.A.' e atualmente 'Que Legal, Scooby-Doo' é exibida pelo Cartoon Network. 


Além de tais séries, inúmeros filmes animados foram lançados direto em DVD, incluindo um com fantoches, e outro em formato LEGO. Também existem duas séries em quadrinhos publicadas pela DC Comics nos Estados Unidos.

Atualmente, a Warner trabalha em possível reboot animado para os cinemas, que iniciaria uma nova franquia com os clássicos personagens da Hanna-Barbera no mesmo universo. Tony Cervone (O Show dos Looney Tunes) e Dax Shepard (CHIPS - O Filme) foram confirmados como diretores e Matt Lieberman (Dr. Dolittle 4) ficará encarregado do roteiro. O filme tem previsão de estreia para 2020.

Apesar de dividir opiniões até hoje, 'Scooby-Doo: O Filme' conseguiu deixar sua marca, reacendendo uma poderosa franquia para a Warner, iniciando uma nova era em Hollywood onde tantas outras animações foram adaptadas para o cinema. Porém, o mais importante, é que ele reapresentou esses icônicos personagens a uma geração inteira de novos fãs que rapidamente se apaixonaram por Fred, Daphne, Velma, Salsicha e Scooby-Doo.

Infelizmente, os DVD’s dos filmes estão atualmente fora de catálogo e são extremamente raros de se encontrar. Mas até que os filmes cheguem ao Netflix, outros serviços de streaming, ou até mesmo em Blu-ray, tente encontrar as edições já lançadas no Brasil, que apesar de simples, possuem uma invejável quantidade de extras. E não sinta vergonha nenhuma de repetir o inesquecível "Scooby-Dooby-Doo".

Os 15 anos de 'Scooby-Doo: O Filme' Os 15 anos de 'Scooby-Doo: O Filme' Reviewed by Roberto de Carvalho Neto on sábado, junho 24, 2017 Rating: 5

0 COMENTÁRIOS

Postar um comentário

comentários
DISQUS