Reprodução/Divulgação

Chicago Med - 2ª Temporada | Crítica

Estamos de volta a cidade de Chicago e vamos falar da famosa franquia de Dick Wolf, especialista em séries criminais e responsável por criar Miami Vice e Law & Order. 'Chicago Med' é a segunda série derivada de 'Chicago Fire' e você pode conferir a crítica da 1ª temporada aqui. Exibida no Brasil pelo Universal Channel, a 2ª temporada teve 23 episódios e repetiu o sucesso da anterior.

O final da 1ª temporada deixou algumas pontas soltas e logo no primeiro episódio dessa temporada elas se encaixam. Tivemos grandes mudanças no hospital e novos personagens foram inseridos. Agora Will (Nick Gehlfuss) não é mais estagiário e passa a atender como médico na emergência ao lado de Dr. Choi (Brian Tee) e Dra. Natalie (Torrey Devitto).

Alguns estagiários entram em cena e são auxiliados por eles, Dr. Rhodes (Colin Donnell) sai da emergência em definitivo e passa a trabalhar na Cardiologia, junto com o complicado, Dr. Latham (Ato Essadonh). Essa é uma parceria que já nos primeiros instantes rendem conflitos. Dr Latham é metódico e não aceita que as pessoas o tratem como igual, uma pessoa extremamente difícil e personalidade forte.


Dr. Charles (Oliver Platt) consegue uma vaga de especialização em Psiquiatria para a Dra. Reese (Rachel Dipillo). Ela deixou de ser estagiária na emergência e ficou com dúvidas em qual área seguir, mesmo com toda insegurança ela tenta com seu jeito atrapalhado acertar seu caminho profissional. Podemos perceber durante toda temporada esse crescimento profissional e o quanto o personagem evoluiu e ganhou mais destaque.

Tivemos algumas mudanças que poderiam ser descartadas, na temporada anterior fica evidente o quanto Will gosta de Natalie e percebemos que ela fica balançada, mas quando Jeff entra na jogada foi criado um triangulo amoroso muito forçado. Tão forçado que mais para frente Will parece mudar de ideia e resolve procurar o amor em outro lugar.



Ainda sobre interesses amorosos e troca de casais Dr. Rhodes continua arrancando suspiros por onde passa e seus acertos chamam a atenção da nova Epidemiologista Dra. Robin (Mekia Cox) filha de Dr. Charles onde os dois não se falam há anos e passam a conviver todos os dias.


No decorrer dos episódios acompanhamos casos mais ousados, difíceis e tensos. Médicos discordando uns dos outros e tomando medidas extremas para salvar seus pacientes, momentos críticos no hospital tentando trabalhar durante uma nevasca e após um ataque onde hackers que invadiram o sistema do hospital deixando-os as cegas.

Pacientes com doenças terminais, suicídios e homicídios onde requer a participação da policia e aí pode ver o detetive Halstead (Chicago P.D) fazendo uma visita na série. Também acompanhamos a pressão de trabalhar 24 horas por dia em uma emergência e o quanto isso pode ser um fardo pesado. Porém senti falta dos momentos leves e engraçados que Maggie e suas enfermeiras proporcionam.



Não foi uma temporada pesada e carregada de drama, não é assim que Dick Wolf trabalha. Temos personagens fortes, sólidos e bem explorados. Dick não se perdeu ao acrescenta-los e levá-los ao limite. O crescimento de 'Chicago Med' é notável e não necessita da presença dos personagens das outras séries da franquia, porém eles são sempre bem vindos. No meio da temporada fomos introduzidos a mais um membro da família Chicago, dessa vez 'Chicago Justice' que veio unir forças e ajudar nosso time de heróis num crossover entre as séries. Vamos acompanhar os casos nos tribunais e seus desfechos que nem sempre são positivos.

'Chicago Med' fez bonito em mais uma temporada e acerta ao mudar a dinâmica dos episódios tirando os personagens da zona de conforto, mostrando acidentes fora do Hospital e fazendo os médicos correr contra o tempo para salvar as vítimas, sem muitas condições ao seu favor.


Vale lembrar que não é necessário acompanhar toda a franquia, basta você pode escolher seu time preferido. As séries seguem a mesma linha de tempo, pois os personagens transitam em ambos os mundos, porém os episódios podem ser vistos separadamente. Não restam dúvidas do sucesso desse sucesso e vem mais por ai, assim como 'Chicago Fire' e 'Chicago P.D', 'Chicago Med' foi renovada para uma 3ª temporada.

Chicago Med - 2ª Temporada | Crítica Chicago Med - 2ª Temporada | Crítica Reviewed by Cintia Milanez on terça-feira, maio 16, 2017 Rating: 5

0 COMENTÁRIOS

Postar um comentário

comentários
DISQUS