Reprodução/Divulgação

Beleza Oculta | Crítica


O filme 'Beleza Oculta' conta a história do empresario bem sucedido na indústria de propaganda, Howard (Will Smith) que se encontra em depressão após a perda da filha de seis anos.

Ele perde a vontade de viver, a capacidade de amar e de se relacionar com outras pessoas. Deixando os amigos e sócios preocupados. No auge da dor e desespero ele envia cartas para a morte, ao tempo e ao amor. Até que "eles" respondem. Levando-o a questionar sua sanidade mental.

Foram seus amigos que contrataram atores para encenarem a Morte (Helen Mirren), o Amor (Keira Knightley) e o Tempo (Jacob Latimore) numa tentativa desesperada de que ele lide com o luto.


Situado no Natal, 'Beleza Oculta' apela para o emocional, manipulando o telespectador durante todo o filme nos envolvendo numa tentativa de plot twist fraco e desnecessário, onde o único objetivo é apresentar a moral da história.

O roteiro de Allan Loeb ('Quebrando a Banca') tenta misturar comédia, drama e suspense. Talvez esse seja o maior problema do filme, pois não consegue acertar o tom correto para cada um deles. O filme é recheado de frases impactantes e de carga emocional que parece estar sendo jogada uma atrás da outra em cima de você impossibilitando-o de absorver tudo aquilo. 



Quando vemos um elenco com Will Smith, Helen Mirren, Kate Winslet,Keira Knightley e Edward Norton pensamos que seria impossível ele ser ruim, com um time de peso desses criamos grandes expectativas para o desenrolar dessa história em uma fotografia é comum, parecendo apenas mais um filme rodado em Nova York com uma trilha sonora que não se destaca.

O filme não atinge as expectativas deixando o telespectador frustrado e até mesmo sem compreender ao certo porque esse nome foi dado ao filme. Mesmo sendo explicado mais de uma vez no decorrer da história o nome ainda não parece causar o impacto ou sensibilidade sugerida após a explicação.

Infelizmente, o filme é apenas um grande elenco levando o peso de um enredo mal explorado e desperdiçado que, no final das contas, não será lembrado por muito tempo devido a falta de empatia. 

Beleza Oculta | Crítica Beleza Oculta | Crítica Reviewed by Cintia Milanez on segunda-feira, janeiro 30, 2017 Rating: 5

0 COMENTÁRIOS

Postar um comentário

comentários
DISQUS