Reprodução/Divulgação

Cidade Grande no Escuro, de Clara Averbuck


Em mais um livro de coletâneas, Clara Averbuck apresenta em "Cidade Grande no Escuro" textos de seus blogs e artigos em jornais e revistas, entre 2003 e 2012. O que enxergamos de diferente em relação a "Das Coisas Esquecidas Atrás da Estante"? Um grande amadurecimento de seus textos e principalmente uma mudança de vida. O livro, com 52 crônicas, foi estruturado em duas partes: a primeira é a "CABEÇA" e a segunda é o "CORAÇÃO".

Em "CABEÇA" ficamos com a Clara divertida, que fala sobre seu dia, as incomodações dos vizinhos e um pouco sobre suas reclamações literárias. E algumas com muito sentido, principalmente quando ela fala sobre as escolas obrigarem os alunos a lerem livros "Clássicos", mesmo que não façam nenhum sentido para eles. Nessa parte também conhecemos a transformação de Clara em mãe. A chegada de Catarina muda muito sua rotina, mas mesmo assim, a criança traz uma alegria imensa.

Já em "CORAÇÃO", a situação muda. O clima é de despedidas. Seu namorado/marido está indo embora. As brigas lembram muito Camila e Antônio de "Vida de Gato", porém, ela não pode jogar tudo para o alto e começar uma nova vida. Clara precisa seguir em frente, mesmo que com muita dor, afinal, Catarina está ali, esperando sua mãe superpoderosa. 

Cidade Grande no Escuro, de Clara Averbuck Cidade Grande no Escuro, de Clara Averbuck Reviewed by Lucio Pozzobon on quarta-feira, maio 07, 2014 Rating: 5
comentários
DISQUS