Reprodução/Divulgação

Scream Queens - 1ª Temporada | Crítica


Divertida, única e completamente fora da realidade.


Sem dúvida nenhuma, Ryan Murphy é um dos produtores mais populares da televisão atualmente, com sucessos como Nip/Tuck, Glee e American Horror Story, ele definitivamente mudou o atual cenário das séries de TV, apostando no formato de antologia.

E assim, muito se esperava de Scream Queens, a maior aposta da FOX para a temporada de Outono. Além de encabeçada por Murphy, Ian Brennan e Brad Falchuk, a série é estrelada por grandes nomes de Hollywood como a eterna rainha do grito Jamie Lee Curtis (Halloween), Emma Roberts (Pânico 4/American Horror Story), Lea Michele (Glee), Abigail Breslin (Pequena Miss Sunshine/Noite de Ano Novo), e nomes queridos do público adolescente como Diego Boneta (Rock of Ages), Nick Jonas (Kingdom), e Ariana Grande (Sam & Cat). A aposta era grande, a expectativa alta, além de uma poderosa estratégia de marketing por parte da FOX. Mesmo assim, a série não conseguiu altos números de audiência e ficou bem divida entre o público.


A trama da série não é nada inovadora. Uma casa de fraternidade é ameaçada por um perigoso Serial Killer fantasiado, a cada episódio alguém morre, enquanto que os sobreviventes tentam descobrir quem pode estar por trás da máscara do assassino. O grande diferencial aqui é o grande foco no humor, no horror, nas referências aos clássicos do terror, e sem compromisso nenhum com a realidade, o que agradou alguns e irritou outros, mas que em minha opinião é o grande diferencial da série. A trama do assassino pode ser interessante e sua resolução é até surpreendente, mesmo que tudo já possa ser facilmente solucionado pelo telespectador já no episódio 11, antes dos dois últimos episódios, mas o humor ácido proporcionado, junto com diálogos absolutamente hilários, é o ponto forte da atração.


Emma Roberts, Billie Lourd e Abigail Breslin são uns verdadeiros shows à parte interpretando Channel, Channel #3 e Channel #5 respectivamente. Mas a reitora Cathy (Jamie Lee Curtis), Zayday Williams (Keke Palmer), e principalmente Denise Hemphill (Niecy Nash) não deixam a desejar, apesar de pouco tempo em tela. O mesmo não pode ser dito de Grace (Skyler Samuels), Chad (Glen Powell), e Wes (Oliver Hudson). Seus personagens são pouco explorados, possuem poucas piadas e não estão muito ligados com o arco principal.


O modo como os roteiristas satirizam as universidades norte-americanas, assim como famílias ricas e as investigações policias também se tornam uma forma divertida de humor.


O figurino e os cenários altamente coloridos e chamativos são um deleite para os olhos, todos sempre modernos, mas lembrando de muitos filmes de terror dos anos oitenta e noventa, como o labirinto construído idêntico ao do clássico "O Iluminado", ou ainda figurinos icônicos como o clássico traje de Jackie Kennedy usado por Channel no Halloween, e de outras figuras públicas dos Estados Unidos.


Mas a série não aposta apenas na nostalgia de fãs do terror, homenagens e menções a sucessos atuais da cultura POP como Orange Is The New Black, Game of Thornes, How To Get Away With Murder, até mesmo Taylor Swift, e muitos outros são constantes na maioria dos episódios.


A trilha sonora da série também foi escolhida a dedo e na maioria das vezes contribuí para as cenas mais cômicas, assim como cenas mais assustadoras, no entanto, em nenhum momento a série tenta assustar ou pregar algum susto no telespectador.

A série demora em encontrar sua verdadeira voz, e provavelmente por causa disso tenha perdido muitos telespectadores ao longo de sua temporada de estreia, mas Scream Queens prova que possuí muito potencial, trazendo vários elementos adorados de Glee e American Horror Story. O roteiro realmente não é dos melhores, mas a química entre o elenco e as piadas únicas faz de Scream Queens uma das melhores comédias exibidas atualmente na TV aberta dos Estados Unidos. 

Por enquanto, não sabemos se a série será ou não renovada para 2ª Temporada, mas vamos torcer para que a FOX leve em consideração o sucesso que a série obteve ao ser vendida para o mercado internacional, assim como o sucesso nas redes sociais. Também espero que o formato antológico seja mantido, pois a temporada de matança de Red Devil já se encerrou.

Scream Queens - 1ª Temporada | Crítica Scream Queens - 1ª Temporada | Crítica Reviewed by Roberto de Carvalho Neto on quarta-feira, janeiro 13, 2016 Rating: 5

0 COMENTÁRIOS

Postar um comentário

comentários
DISQUS